MEIO AMBIENTE

Projeto de plantas medicinais é selecionado entre os melhores do Brasil

07/11/2013 - 14h30

 

Compartilhar via E-mail

O projeto "Plantas Medicinais: compartilhando uso e semeando saberes", desenvolvido no município com o apoio da Prefeitura de Santa Bárbara d'Oeste, está classificado entre as 35 melhores ações do Prêmio Caixa Melhores Práticas em Gestão Local 2013/2014, iniciativa desenvolvida pela Caixa Econômica Federal e que tem o objetivo de descobrir experiências bem-sucedidas que melhorem a qualidade de vida das pessoas.

Executado no Horto Medicinal do bairro Cruzeiro do Sul e no Viveiro Municipal, o projeto barbarense participará de uma seleção nacional no início do próximo mês em Brasília, momento em que serão escolhidos os projetos que representarão o País em evento internacional a ser realizado pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos.

Coordenado pela médica sanitarista Dra. Nair S. N. Guimarães, com o apoio de servidores da Prefeitura, o projeto desenvolvido no município dispõe do cultivo de sementes de plantas medicinais, capacitando produtores e formando um grupo de estudos sobre a fitoterapia. Entre os setores da Administração Municipal envolvidos na execução estão as secretarias de Meio Ambiente, Saúde, Educação e Promoção Social. "O apoio da Prefeitura é importante. Este projeto foi expandido pela atual gestão, que nos proporciona todo o auxílio para o preparo de canteiros, disponibilizando técnicos e profissionais", comentou Nair, também apoiadora da Rede de Municípios Potencialmente Saudáveis da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas).

Na ótica da profissional, a série de parcerias firmadas faz com que o projeto tenha maior sustentação e qualidade. "Contamos com ótimos profissionais ao nosso lado, como professores e pesquisadores de universidades. Agradeço a Prefeitura e também aos professores Dr. Pedro Magalhães, do Centro de Pesquisas Pluridisciplinar de produtos biológicos e agronômicos (CPQBA- Unicamp), Lindolpho Capellari Junior, do Departamento de Ciências Biológicas da Esalq-USP e Dra. Ana Maria Sperandio, da Rede de Municípios Potencialmente Saudáveis", disse. "Os apoios são importantes e fazem com que o nosso projeto seja devidamente reconhecido", acrescentou.

Fonte: Redação

Comentários

(Os comentários são de responsabilidade do autor, e não correspondem à opinião do SBNotícias).

 

 

Veja também